Grupo de Desenvolvimento

Clique abaixo e conheça os outros sites do grupo

Mãos de Minas agora vende seus produtos pela internet

           

   Reconhecido no mundo inteiro como original e de qualidade, o artesanato mineiro ganhou mais um canal de divulgação e vendas no portal de vendas da Central Mãos de Minas. O projeto, que começou a ser desenvolvido há um ano, está no ar desde abril e já conta com mais de mil produtos cadastrados.
Segundo a gerente de e-commerce da Mão de Minas, Stéphani Oliveira, o objetivo do portal é congregar artesãos de todo o Brasil. "Buscamos preservar a identidade mineira, os produtos originados no Estado, mas sem descartar artesãos de outros lugares. O importante é que os produtos sejam inteiramente artesanais. Podem participar produtores individuais, associações, cooperativas e microempreendedo- res", explica Oliveira.
Quem já é associado da Central pode pedir o cadastro no site gratuitamente. Quem ainda não faz parte paga uma taxa de R$ 50 anuais e tem os três primeiros meses grátis. Antes da publicação cada produto passa por uma avaliação da equipe do site. A Central recebe 14% do valor das vendas realizadas dos artesãos individuais e 4% no caso de associações e cooperativas.
"O sistema de adesão é bem simples e a grande vantagem para o artesão é que ele expõe de uma só vez os produtos para um público que jamais conseguiria reunir. Por enquanto, estamos vendendo apenas dentro do Brasil, mas já existe a ideia de vender também para o exterior", destaca a gerente.
Para o consumidor, a vantagem, além de ter uma infinidade de produtos para comparar e escolher, é poder parcelar as compras. Para isso foi fechada uma parceria com a intermediadora de pagamentos on-line Moip. O cliente pode dividir o pagamento em até dez vezes enquanto o artesão recebe, em até 32 dias, o valor integral.
Até agora a maior parte das vendas foi concretizada com consumidores de São Paulo e Brasília. As entregas são feitas pelos Correios e já são estudadas parcerias com transportadoras. "Os Correios têm algumas restrições quanto ao peso e tamanho e isso impede que alguns produtos sejam vendidos pelo site. Pela fragilidade de algumas peças, o ideal é ter uma transportadora qualificada", avalia.
Outra ferramenta virtual é a página da Central Mão de Minas no Facebook. Além de divulgar os produtos com, no mínimo, uma publicação diária, direciona o internauta para o portal de vendas.
Um novo setor em desenvolvimento para o portal é o espaço para vendas no atacado. "Estamos consolidando o site, que já se mostra um grande sucesso. Vamos passo a passo aumentando a divulgação e incrementando o serviço", complementa.