Grupo de Desenvolvimento

Clique abaixo e conheça os outros sites do grupo

Pesquisa mostra que artesão contribui para a economia industrial

Em relatório recente de pesquisa encomendada pelo Instituto Centro de Capacitação e Apoio ao Empreendedor (ICCAPE) ao Instituto Vox Populi,  o resultado da enquete aponta informações importantes referentes aos artesãos que tiveram seus trabalhos expostos na 23ª Feira Nacional de Artesanato (FNA). A pesquisa faz parte de uma série histórica e é instrumento de planejamento que contribui para o aumento da satisfação de expositores e público.

A pesquisa ouviu mais de 6.700 artesãos e abastece um banco de dados com informações que abrangem o perfil socioeconômico, o tipo de produção de cada artesão, o grau de associativismo, a quantidade de postos de trabalho gerados, entre outros. Alguns dados se mantém constantes em comparação às pesquisas anteriores, sendo a região Sudeste a mais representada na Feira (2008 a 2011). Também se mantém na mesma média a predominância da mão-de-obra feminina e o aumento no nível de escolaridade dos artesãos.

Observa-se também um aumento no grau de cooperativismo, quando comparamos os resultados de 2011 e 2012,  principalmente na participação dos estados que têm artesãos representados por associações/cooperativas como o Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, Rio de Janeiro.

Os artigos utilitários (78%) constituíram a principal categoria de produtos existentes na Feira, principalmente os artigos de uso pessoal (45%). A segunda categoria é constituída pelas roupas (73%), em especial, as de mesa/cozinha (60%). Os artigos de decoração (52%) formam a terceira categoria, principalmente os arranjos e adornos (41%).

Um dado importante que foi verificado nessa 8ª edição da pesquisa, mostra que quando questionado sobre os materiais utilizados para produção, verifica-se uma queda acentuada no consumo dos materiais de origem animal, plantas e essências naturais e um crescimento na utilização de alguns produtos industriais, com destaque para os materiais para acabamento, como as fibras, os plásticos/borracha, materiais têxteis (em especial tecidos e linhas) e metais. Onde se conclui que a participação dos artesãos contribui sobremaneira para o aquecimento da economia industrial.

Quase dois terços dos artesãos (64%) utiliza mão de obra adicional para desenvolver os seus trabalhos, atingindo em 2012 o índice de 4,08 pessoas por artesão, comprovando que o artesanato é um segmento que gera oportunidades de renda e trabalho a muitas famílias.

A Central Mãos de Minas teve o maior número de participantes na feira e o faturamento dos artesãos associados é superior aos associados a outras instituições, conforme mostra o quadro abaixo.

GASTOS

2012 – ASSOCIADOS............................................3.685,19

É associado ao Mãos de Minas...............................5.321,32

Não é associado...................................................3.281,21

 

FATURAMENTO

2012 – ASSOCIADOS.............................................9.374,45

É associado ao Mãos de Minas................................13.189,34

É associado a outras..............................................8.557,52