Grupo de Desenvolvimento

Clique abaixo e conheça os outros sites do grupo

Gente de Fibra no Centro Cape/Mãos de Minas

Como diz a parábola, “o bom filho a casa torna”, foi com alegria que a diretora do Centro CAPE, Catharina Machado, recebeu hoje, dia 21 de maio, a visita de representantes do Projeto “Gente de Fibra”.

O projeto cresceu e hoje os 25 artesãos fazem parte da Cooperativa Mariense de Artesanato, que completa 15 anos de atuação e começou paralela ao Projeto de Desenvolvimento do Turismo Rural em Maria da Fé. O trabalho surgiu da parceria entre a Prefeitura Municipal e, desde sua criação, teve o apoio do Centro CAPE/Mãos de Minas.

No início, o artista plástico Domingos Tótora e mais cinco mulheres da comunidade aceitaram o desafio de desenvolver o trabalho, surgindo assim a Oficina Gente de Fibra. Paralelamente foram criadas outras oficinas de artesanato na cidade. Em 1999, nasceu a Cooperativa Mariense de Artesanato.

Para a atual presidente da Cooperativa, Rosilene Martins Cardoso, fazer parte da Mãos de Minas é muito importante. Para ela, a Central Mãos de Minas deu o apoio para alavancar e divulgar o artesanato produzido, comercializar e dar consultoria para que a produção tivesse a qualidade exigida pelo mercado. “Foi aqui a primeira loja que comprou nossos produtos. Chegamos aqui sem experiência nenhuma e vendemos 60 peças. Foi a maior empolgação e nós nem acreditamos!”. Ainda de acordo com Rosilene, hoje há diversos cursos oferecidos por várias instituições, mas no início, os cursos de capacitação que elas receberam foram todos ofertados pela Mãos de Minas.

Outra representante da Cooperativa, Edna Santos Ferreira relembra que fizeram cursos de gestão e participaram de rodas de negócios. “Certa vez nos encomendaram uns chapéus e quando chegamos lá, mais da metade da nossa produção foi reprovada. Daí vimos a real necessidade de fazermos cursos para aprimorar nossa qualidade. Isso devemos à nossa incentivadora, Tânia Machado, que nos ajudou muito. Somos gratas a ela pelo que alcançamos hoje”, disse.

Na visita, as representantes aproveitaram a ocasião para conhecer todo o novo processo de exportação do Centro CAPE/Mãos de Minas e esclareceram dúvidas sobre o Curso de Educação a Distância (EAD) para fortalecimento do segmento artesanal, do qual a Cooperativa faz parte.

De acordo com Catharina Machado, o artesanato produzido pela Gente de Fibra é bem aceito no exterior. “Queremos retomar com a exportação dos produtos, que tem um alto valor agregado por serem produzidos de materiais da natureza e ecologicamente certificados”.

A Cooperativa produz peças de decoração em papel Kraft e fibra de bananeira, e contribui para o fortalecimento econômico da comunidade gerando renda e colocando no mercado produtos de qualidade, o que tem gerado prêmios e reconhecimento nacional e internacional.