Grupo de Desenvolvimento

Clique abaixo e conheça os outros sites do grupo

Mulher Artesã Brasileira- Ceará

Na caatinga do Ceará, entrevistamos Maria Miguel de Oliveira "Dona Rosinha", 54 anos, primogênita de uma família de 15 filhos. Na caatinga do Ceará, entrevistamos Maria Miguel de Oliveira "Dona Rosinha", 54 anos, primogênita de uma família de 15 filhos. A artesã aprendeu a conviver com um problema congênito de atrofia dos membros, se tornando um exemplo de superação. Estudou o segundo grau completo e por iniciativa própria, erradicou o analfabetismo na comunidade de Mocotó, em Várzea Alegre. Outra preocupação da dona Rosinha foi ensinar o ofício do artesanato aos moradores promovendo a integração social e a geração de renda. Atualmente mais de 1000 pessoas sobrevivem da produção de redes através da Associação Comunitária do Sítio Mocotó, gerando renda mensal de 1-3 salários mínimos para os associados. O artesanato das redes foi reconhecido pelo Prêmio Mulher de Negócios e Prêmio SEBRAE Top 100 de Artesanato, que distingue as 100 unidades produtivas de artesanato mais competitivas do Brasil. O grupo trabalha de forma sustentável a fabricação de redes de algodão para dormir. 

Foto: Maria Miguel de Oliveira "Dona Rosinha" Crédito: Jayme de Carvalho Jr/Abexa
Estudou o segundo grau completo e por iniciativa própria, erradicou o analfabetismo na comunidade de Mocotó, em Várzea Alegre. Outra preocupação da dona Rosinha foi ensinar o ofício do artesanato aos moradores promovendo a integração social e a geração de renda. Atualmente mais de 1000 pessoas sobrevivem da produção de redes através da Associação Comunitária do Sítio Mocotó, gerando renda mensal de 1-3 salários mínimos para os associados. O artesanato das redes foi reconhecido pelo Prêmio Mulher de Negócios e Prêmio SEBRAE Top 100 de Artesanato, que distingue as 100 unidades produtivas de artesanato mais competitivas do Brasil. O grupo trabalha de forma sustentável a fabricação de redes de algodão para dormir. 

Foto: Maria Miguel de Oliveira "Dona Rosinha" Crédito: Jayme de Carvalho Jr/Abexa